Cadeiras (clique no número para ver a cadeira correspondente):
01 | 02 | 03 | 04 | 05 | 06 | 07 | 08 | 09 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40
Cadeira nº 32 - João Cardoso Palma Filho . PDF Imprimir E-mail

TITULAR

imgJoaoPalmafdg João Cardoso Palma Filho. 

Secretário Adjunto da Educação do Estado de São Paulo é doutor em Educação (Currículo e Supervisão) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e professor títular do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - IA/UNESP. Mestre em Ciências Sociais pela Escola de Sociologia e Política é graduado em história natural (IBILCE/UNESP), pedagogia (UNIFIEO) e direito (Faculdade de Direito da USP). Realizou pós-doutorado em política da educação pela Faculdade de Educação da USP, sob a supervisão do Prof. Dr. Celso de Rui Beisiegel. Professor de Metodologia da Pesquisa Científica e Sociedade, Estado e Educação para os cursos de Licenciatura em Artes do Instituto de Artes da UNESP, e de Metodologia da Pesquisa em Ciências Humanas e Políticas Curriculares e Ensino de Arte no Mestrado do IA/UNESP. Foi professor de ciências naturais e biologia na rede estadual de ensino, no Colégio Benjamin Constant e na Universidade Anhembi Morumbi. Na administração educacional pública foi diretor de escola, diretor regional de educação, coordenador da Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas - CENP (1984 - 1987), e de sua divisão de supervisão e da de serviços de ensino supletivo; e diretor de políticas educacionais da Secretaria de Ensino Fundamental do MEC (1995-1996). É membro do Conselho Estadual de Educação, desde 1985 e membro honorário da Academia Paulista de Educação. Dentre sua vasta produção bibliográfica contam-se 17 artigos publicados em periódicos especializados no campo da educação, 19 livros publicados/organizados/edição, 29 capítulos de livros, 12 trabalhos completos publicados em Anais de Congressos.Tomou posse na Academia Paulista de Educação em 10 de outubro de 2011

PATRONO


alt HORÁCIO AUGUSTO DA SILVEIRA

Cadeira 32
Patrono

O professor Horácio Augusto da Silveira foi eminente educador, tendo iniciado sua carreira na região de Ribeirão Preto.
Em 1905, foi nomeado para reger a Escola do Bairro do Pântano, de São Simão.
Em 1906, foi removido para a Escola de Cravinhos.
Em 1908, foi nomeado adjunto do Grupo Escolar de Ribeirão Preto.
Em 1910, foi nomeado para exercer, interinamente, o cargo de Diretor do Grupo Escolar de Sertãozinho.
Em 1918, foi nomeado Diretor do Liceu de Artes e Ofícios de Amparo.
Em 1923, foi nomeado para exercer, interinamente, o cargo de Diretor da Escola Profissional Feminina da Capital.
Em 1931, foi nomeado Diretor e Lente de Geografia Econômica e Higiene Industrial da Escola Normal Feminina de Artes e Ofícios.
Em 1933, foi designado para dirigir a organização do Instituto "Escolástica Rosa". de Santos.
Em 1933, foi designado para exercer as funções de Superintendente do Escotismo do Estado.
Em 1934, foi nomeado para o cargo de Superintendente da Educação Profissional.
Em 1941, foi nomeado para constituir a Comissão que representará o Estado no I Congresso Nacional de Saúde Escolar.
Em 1941, foi nomeado para constituir a Comissão que representará o Estado na I Conferência Nacional de Educação.
Em 1942, foi declarado à disposição da Secretaria da Agricultura, para prestar serviços à organização das Escolas Profissionais Agrícolas.


ANTECESSOR1


alt SÓLON BORGES DOS REIS

Cadeira 32
Antecessor

Diplomado pela Escola Normal de Campinas (1935), em Pedagogia pela USP. Outros cursos na área, na Escola de Sociologia e Política, de cujo Diretório Acadêmico recebeu título de "Sócio Honorário, pela sua atuação em prol do corpo discente da escola" (1967) e na ADESG, Professor e Diretor de Escola no ensino primário, secundário, normal e superior, Assistente Geral, Chefe do Ensino Secundário e Normal, Diretor Geral do Departamento de Educação, Secretário da Educação (Governo Carvalho Pinto). Conselho Estadual de Educação (1983/1986: Governo Franco Montoro). Professor contratado de Administração Escolar da Faculdade de Filosofia, hoje Universidade Católica, em Santos (1957/1958). Secretário Municipal de Educação, S.Paulo (1993/1996).

A convite dos governos, visitou escolas nos Estados Unidos, União Soviética, Cuba (Congresso Pedagogia-86, em Havana), República Popular da China e Israel. Integrou a Delegação brasileira em congressos internacionais de educação e magistério na América, Europa, Ásia e África.
Presidente (1956/1996) do Centro do Professorado Paulista. Fundou (1947) a União Paulista de Educação.

Criou, em Jaboticabal, Clube dos Professores e Associação dos Estudantes (1944). Um dos fundadores (1945) DA Associação dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP). Secretário da entidade, recebeu título de lealdade ao ensino e à classe, ao renunciar ao cargo de Chefe do Ensino Secundário e Normal do Estado, solidário com os professores em pendência salarial (1954). Promoveu a primeira campanha no país por mais verbas para as escolas (1949) e a primeira mobilização de rua, por "mais prédios para as escolas, melhores vencimentos para os professores", do que resultou o Fundo Estadual de Construções Escolares (1958). Liderou a primeira greve do magistério público (1963), totalmente vitoriosa. De "O Estado de São Paulo", em editorial: "PROFESSORES NA GREVE". Na direção do ensino, atualizou os programas dos anos 20; instalou, em salas vagas com professores adidos, o 5º ano primário, a título experimental; criou o Serviço de Medidas e Pesquisas Educacionais. Implantou, vencendo, no Executivo, no Legislativo e no Judiciário, os primeiros concursos anuais de remoção e ingresso no ensino médio (1948/1950).
Criou os quatro primeiros Museus Histórico-Pedagógicos, em Piracicaba, Campinas, Guaratinguetá e Batatais. Empenhado na melhoria da qualificação do professor, promoveu reforma do ensino normal, com um ano a mais de aperfeiçoamento, em Lei que não foi aplicada, por deixar a direção do ensino. Criou as dez primeiras escolas para deficientes auditivos, o Colégio de Aplicação (USP), homenagem da direção e do corpo docente, com o troféu de bronze "Gloire au travail" (1955/1957). Insistindo na luta por mais escolas, melhores escolas, seu lema: "Só a educação do povo pode conduzir o Brasil a um grande destino" (1947), vem sendo adotado por várias instituições culturais e de magistério.

Cinco vezes deputado estadual (1959/1979), presidiu a Comissão de Educação e da Cultura na Assembléia Legislativa. Na reforma da Constituição Estadual (1967), foi relator dos capítulos "Da Educação e da Cultura" e "Da Segurança Pública". Relator-Geral do Anteprojeto da reforma da Constituição (1977). Na bancada da imprensa, fez cobertura da Constituição Estadual (1947). Três mandatos de deputado federal, Vice-líder do PTB na Câmara, Vice-Presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto e suplente de Relações Exteriores (1986/1992). Participou da Redação Final da Constituição de 1988. Relator da CPI destinada a investigar a aplicação, pelo MEC, dois recursos para as despesas federais no ensino, seu Relatório, aprovado por unanimidade pelas Comissões e Plenário, na Câmara, mereceu também apoio espontâneo e unânime da Assembléia Legislativa de São Paulo. Integrou a Procuradoria Parlamentar, que zela pela ética na Câmara dos Deputados.
Bacharel em Direito, pela Universidade Federal Fluminense (1950). Curso de Atualização em Direito Constitucional, na USP (1961).

Educador, escritor, poeta e jornalista, 19 livros publicados, prêmios literários e educacionais. Presidente (1985/1986) e Presidente de Honra da Ordem Nacional dos Escritores (1990) e da Ordem dos Velhos Jornalistas do Estado de São Paulo. Integra a Academia Paulista de Educação; Associação Brasileira de Educação (1973); Associação Nacional de Política e Administração da Educação - ANPAE (1990); Academia Paulista de Letras (Cadeira 37); Academia Paulista de Jornalismo (Cadeira 17); Academia de Letras da Grande São Paulo (Cadeira 14); Academia Brasileira de Literatura Infantil e Juvenil (Presidente); Academia Paulista de História (Cadeira 29); Academia Lusíada de Ciências e Artes (Cadeira 47); Academia Cristã de Letras (Cadeira 29); Academia Taguatinguense de Letras; Academia Campinense de Letras e Academia de Ciências. Letras e Artes, de Campinas (sócio-correspondente). Dos Institutos Históricos e Geográficos de São Paulo (1950 emérito), Piracicaba, Sorocaba e Arceburgo (MG); União Brasileira de Escritores (1974); União Brasileira de Trovadores (1988); Associação Paulista de Imprensa (1936, integra a Direção desde os anos 40); Sindicato dos Jornalistas Profissionais. Membro do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta/TV Cultura (1993/1996).

Participou, como Instituidor, da Fundação Anísio Teixeira, na Bahia (1989). Rotary Club de São Paulo - Jardim América (1988/2002)/ Rotary Club de São Paulo (2003/2005). Vice-Prefeito de São Paulo (1993/1996), assumindo a Prefeitura de 27/10 a 22/11/1993 e de 13/04 a 07/05/1995.
Faleceu em 08/09/2006.

ANTECESSOR2


altPAULO ERNESTO TOLLE

Cadeira 32
Antecessor

Ícone da educação paulista, o advogado Paulo Ernesto Tolle mesclou sua formação original com a vocação de educador e, assim, criou instituições renomadas e contribuiu para o aperfeiçoamento do ensino no país.

Como advogado, Tolle idealizou leis, que, ao serem aprovadas pela Câmara, abriram espaço para o desenvolvimento do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), onde foi professor por anos. Também ajudou a fundar o Centro Técnico de Aeronáutica (CTA), com o Coronel Casimiro Montenegro Filho.

Após ter sido professor da Faculdade de Direito e Educação da Universidade de Berkeley, na Califórnia, nos EUA, em 1966, Tolle decidiu atravessar o país. No percurso, o advogado visitou diversos centros de ensino técnico até chegar a seu destino, a cidade de Nova York.

A experiência adquirida por Tolle nesse período foi trazida para o Brasil e o conceito dos centros norte-americanos deu origem à primeira Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec).

O advogado ocupou ainda os cargos de secretário municipal e depois estadual de Educação de São Paulo.
Segundo a única filha, Vera, Tolle acreditava que a educação era o melhor caminho para a ascensão pessoal. Com isso, renovou o Senai de São Paulo, quando foi diretor do Departamento Regional da instituição.

Participou também da criação da Unicamp, quando integrou o Conselho Estadual de Educação, e deu as bases para a fundação da Ufscar.

Aos 70 anos, deixou a vida pública, mas por se dedicar à educação, até o fim da vida integrou o conselho de curadores da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap).

Viúvo, faleceu aos 92 anos na dia 12 de agosto de 2010-10-29
(Diário Popular).


FUNDADOR


alt ARNALDO LAURINDO

Cadeira 32
Fundador

O professor Arnaldo Laurindo foi secretário interino da Educação e Presidente do Centro do Professorado Paulista (CPP). Foi deputado estadual, e como tal, criou, entre outras, a Lei Estadual 2318, de 9 de outubro de 1953, na qual desdobra o curdo de Mestras de Educação Doméstica e Auxiliares de Alimentação em dois cursos distintos: curso de formação de professores de Educação Doméstica e Trabalhos Manuais e curso de formação de Dietistas no Departamento do Ensino Profissional do Estado de São Paulo.



Adicione esta página