Cadeiras (clique no número para ver a cadeira correspondente):
01 | 02 | 03 | 04 | 05 | 06 | 07 | 08 | 09 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40
Cadeira nº 33 - Maria Helena Guimarães de Castro PDF Imprimir E-mail

TITULAR



maria helena SOCIÓLOGA, ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS

 Socióloga, mestre em Ciência Política pela Unicamp e professora aposentada da  Unicamp – Universidade Estadual de Campinas, onde atua como pesquisadora do    Núcleo de Políticas Públicas. Atualmente, é conselheira titular do Conselho Estadual   de Educação de São Paulo e membro do Conselho da Fundação Padre Anchieta e    diretora executiva da Fundação Seade de São Paulo. É membro de vários    conselhos  de entidades ligadas à educação: Comitê Técnico do movimento Todos  pela    Educação; Conselho do Instituto Natura; Conselho Consultivo do Instituto  Braudel;  Conselho da Associação Parceiros da Educação; e Conselho Curador da  Fundação  Ioschpe. Ocupou o cargo de secretária do Estado de São Paulo nos    postos de  Educação (2007-2009), Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento (2006) e  Desenvolvimento Social (2003-2005). Membro da Academia Brasileira de Educação desde 2005 e da Academia Paulista de Educação desde 2014, foi agraciada com diversos títulos, diplomas e medalhas nacionais, destacando-se a Medalha de Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico e a Medalha de Comendador da Ordem do Mérito Educativo da Presidência da República. Publicou vários artigos, capítulos de livros e relatórios de pesquisas sobre educação e política social no Brasil. De 1987 a 1992 foi diretora adjunta do Núcleo de Políticas Públicas da Unicamp e responsável pela coordenação técnica do Relatório sobre a Situação Social do Brasil, publicação anual. De 1992 a dezembro de 1994 foi secretária municipal de Educação de Campinas e presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação. De janeiro de 1995 até março de 2002, foi presidente do Inep, órgão do governo federal MARIA HELENA GUIMARÃES DE CASTRO encarregado das estatísticas e das avaliações educacionais no Brasil. Alguns dos projetos mais importantes desenvolvidos pelo Inep em sua gestão são: o Censo Escolar, o Censo do Ensino Superior, o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica – Saeb, o Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, o Exame Nacional de Cursos (Provão) e a implantação do Pisa no Brasil. Participou da formulação de várias reformas educacionais durante o governo Fernando Henrique Cardoso e foi secretária executiva do Ministério da Educação (2002). Tomou posse na APE em 09/04/2015.



PATRONO


alt MANOEL BERGSTRÖM LOURENÇO FILHO

Cadeira 33
Patrono

Nasceu em Porto Ferreira, SP, em 10/03/1897.
Em 1914, formou-se professor normalista. Completou os estudos pedagógicos na Escola Normal da Praça da República, em São Paulo.
Em 1915, ingressou no magistério, como professor primário substituto do Grupo Escolar de Porto Ferreira.
Em 1921, lecionou Psicologia e Pedagogia, na Escola Normal de Piracicaba.
Em 1922, foi nomeado Diretor da Instrução Pública do Ceará. Ali realizou uma Reforma do Ensino de grande repercussão nacional.
Entre 1925 e 1930, lecionou Psicologia e Pedagogia na Escola Normal da Praça da República, em São Paulo.

É um dos signatários do Manifesto dos Pioneiros da Escola Nova, lançado em 1932.
Em 1932, foi nomeado Diretor do Instituto de Educação do Distrito Federal.
Em 1935, passou a lecionar Psicologia Educacional no Instituto de Educação do Distrito Federal.
Em 1937, foi nomeado membro do Conselho Nacional de Educação.
Em 1938, implantou o INEP, do qual foi o primeiro Diretor, até 1946.
Em 1946, assumiu a Cátedra de Psicologia na Faculdade Nacional de Filosofia.
Em 1947, foi nomeado Diretor Geral do Departamento Nacional de Educação.
Em 1952, foi nomeado Presidente do Instituto Brasileiro de Educação, Ciência e Cultura.

Principais trabalhos publicados, todos pela Editora Melhoramentos.
• Joaseiro do Padre Cícero, 1926.
• Introdução ao estudo da Escola Nova, 1930.
• Testes ABC, 1933.
• Educação Comparada, 1961.
• Organização e Administração Escolar, 1963.


ANTECESSOR1


alt CARLOS CORRÊA MASCARO

Cadeira 33
Antecessor

Eleito para a Cadeira n. 33, Mascaro deveria tomar posse em abril de 1990, mas faleceu, inesperadamente, em janeiro daquele ano.
Nasceu em 15 de janeiro de 1911, em Casa Branca, SP.
Em 1930, recebeu o diploma de Professor Normalista.
Foi, sucessivamente, professor substituto efetivo da Escola de Aplicação da Escola Normal de Casa Branca, professor primário do Grupo Escolar de Bernardino de Campos e secretário da Delegacia de Ensino de Santa Cruz do Rio Pardo.
Foi aluno da primeira turma da então recém-criada (em 1934) Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP.
Em 1937, obteve o diploma de Bacharel em Filosofia e Ciências Sociais e Políticas.
A partir de 1938, passou a lecionar no ensino secundário e normal, passando por Casa Branca, Cruzeiro e Rio Claro.
Em 1950, ingressou como docente no ensino superior, na Cadeira da Administração Escolar e Educação Comparada da FFCL da USP.
Em 1960, obteve a livre-docência.
Em sua intensiva atividade de administrador, exerceu, dentre outras, as seguintes funções:
Presidente da Associação dos Auxiliares de Ensino da USP.
Presidente da Associação Nacional de Professores de Administração Escolar, em cuja criaçáo teve importante participaçáo.
Diretor-Secretário da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento do Ensino de Ciências.
Assessor técnico do Gabinete de Assistência Técnica da Assembléia Legislativa de São Paulo.
Membro da Comissão de Mão-de-Obra da Secretaria do Trabalho, Indústria e Comércio do Estado de São Paulo.
Chefe do Ensino Secundário e Normal da Secretaria da Educação de São Paulo.
Diretor Geral do Departamento de Educação da Secretaria da Educação de São Paulo.
Diretor do Centro Regional de Pesquisas Educacionais do INEP em São Paulo.
Diretor Geral do INEP, do Ministério da Educação.
Membro do Conselho Estadual de Educação.
Principais trabalhos publicados:
Exames vestibulares nas escolas normais. São Paulo,Cadernos da Faculdade n. 8. FFCL-USP, 1955.
O ensino normal no Estado de São Paulo. São Paulo, Cadernos da Faculdade n. 10, FFCL=USP, 1956.
Problemas educacionais do Município de São Paulo. São Paulo, Cadernos da Faculdade n. 11, FFCL-USP, 1957.
Município e ensino no Estado de São Paulo. Rio de Janeiro, MEC-INEP, 1959.
Governo estadual, orçamento e ensino. São Paulo, Cadernos da Faculdade n. 14, FFCL=USP,1959.
O município de São Paulo e o ensino primário. São Paulo, Boletim FFCL-USP n. 211, 1960.
Administração Dscolar na América Latina. Salvador, ANPAE, 1968.
Projected issues in the preparation of educational administrators viewed from the South American context. in Farquhar and Housego, Canadian and Comparative Educational Administration, Montreal and Vancouver, Centre for Continuing Education, 1978.


ANTECESSOR2


alt PAULO RENATO DE SOUZA

Cadeira 33
Titular

O professor e educador Paulo Renato de Souza, ocupante da cadeira 33 da Academia Paulista de Educação, é Mestre e Doutor em Engenharia Química pela Universidade de São Paulo. Também é formado em Economia, com mestrado pela Universidade do Chile e doutorado pela Universidade Estadual de Campinas. Nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no dia 10 de setembro de 1945.
Tomou posse na APE em abril de 2010, no Anfiteatro do CIEE

Dentre suas atuações profissionais, foi sócio fundador da empresa Paulo Renato de Souza Consultores, dedicada a assessoramento no setor educacional, Ministro da Educação no período de 1995 a 2002 e reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Na década de 70, foi especialista das Nações Unidas em questões de empregos e salários.
Dentre suas publicações está a “Avaliação do Desempenho de um Tensoativo Polimérico como Inibidor de Corrosão para o Aço ABNT 1005 em Meio de HCl 2 M”.

Segunda a Wikipedia, enciclopedia aberta
Paulo Renato Souza ocupou numerosos cargos públicos e executivos no Brasil e no exterior, incluindo o de gerente de Operações do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em Washington, o de secretário da Educação do estado de São Paulo (1984–86) no governo Franco Montoro e o de reitor da Universidade Estadual de Campinas (1987–91) durante o governo Quércia.
Durante os anos 1970 serviu à Organização Internacional do Trabalho (OIT) como diretor-associado do Programa Regional do Emprego para a América Latina e o Caribe, e outras agências da ONU. É formado em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, obteve o seu mestrado na Universidade do Chile e o doutorado na Unicamp – na qual também tornou-se professor-titular de economia.
Foi um dos fundadores do PSDB em 1988, e foi o ministro da Educação durante o governo Fernando Henrique Cardoso de 1 de janeiro de 1995 a 31 de dezembro de 2002. Dentre as suas maiores realizações à frente do ministério da Educação, estão o ENEM e o SAEB.
Desde maio de 2003, depois de deixar o governo federal, é proprietário e diretor da PRS Consultores [1] que oferece assessoria estratégica [2] e econômico-financeira para instituições privadas da "indústria do conhecimento" [3].
Em 2006 foi eleito deputado federal pelo PSDB paulista. No dia 27 de março de 2009 licenciou-se do mandato de deputado federal para assumir a secretaria de Educação do estado de São Paulo no governo José Serra (PSDB), substituindo Maria Helena Guimarães de Castro.
Paulo Renato também faz parte do Conselho Consultivo da Fundação Santillana [4], uma instituição espanhola com atuação também na América Latina.


FUNDADOR


alt JOÃO DE SOUZA FERRAZ

Cadeira 33
Fundador

O professor João de Souza Ferraz nasceu em Jaú, interior de São Paulo, em 12 de junho de 1903. Fez o curso primário em sua terra natal e logo depois se mudou para Campinas, onde se formou como professor. Além de exercer o magistério público secundário em várias escolas do Estado, foi redator-secretário da Gazeta de Campinas e figurou entre os colaboradores da Enciclopédia Brasileira da Educação, editada pela Livraria da Editora Globo, de Porto Alegre, além de exercer poesia e ficção. Um de seus livros publicados foi o “Caraguatás”, de 1939.

Obteve em concurso a cátedra de Psicologia da Escola Normal de Limeira, onde se radicou. Foi diretor da Biblioteca Municipal de Limeira, pertenceu à Sociedade de Psicologia de São Paulo e ao Centro Cultural Argentino. Foi fundador da cadeira 33 da Academia Paulista de Educação.

Foi inúmeras vezes agraciado com títulos e distinções honoríficas pelos seus trabalhos, como o diploma de menção honrosa pelo romance Aguapés Flutuam na Ribeira, pelo Pen Club São Paulo.

João de Souza Ferraz morreu no dia 18 de setembro de 1988.




Adicione esta página